Notícias de Caruaru e Região

Coluna Cultura e Política – O Sonho se fez tempo – Por Paulo Nailson

Paulo Nailson de Almeida Lima
Paulo Nailson de Almeida Lima

O novo Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores em Caruaru tomou posse no último sábado (30). O partido vive uma fase de renascimento no município onde encontramos duas características que nos leva a identificação disso: duas forças internas organizadas e reaproximação com as bases.

PT-Caruaru novo diretorio
Foto: Stephanie Sá

O clima de disputa interna, ao contrário do que muita gente pensa, não divide nem enfraquece o partido. O que não é bom é quando um só campo (ou tendência) domina ou ainda pior, quando quem domina exerce a liderança sem conseguir aglutinar outras forças num mesmo propósito. Quando isso acontece, as pessoas vão se distanciando umas das outras, vão perdendo a motivação e, enfim, deixam de acreditar, não se identificam mais e a liderança termina sozinha, conduzindo tudo sem oposição, questionamentos e com mais facilidade de atender seus próprios desejos (ainda que sejam transvestidos com a cor do partido).

Se esse clima dos dois grupos mais fortes permanecer não só em 2020 mais também nos anos seguintes, teremos uma legenda viva e ativa nas discussões e também nas intervenções na sociedade.

O outro fator, a reaproximação com as bases (sindicatos, movimentos sociais, frentes de lutas, etc) é comum acontecer nos períodos de PED (Processo de Eleição Direta) para garantir o quórum mínimo necessário. Mas logo se dissolve. No máximo dura até a posse e os três primeiros meses.

Dessa vez vários fatores indicam que será um período mais duradouro. O grupo que saiu vencedor no PED foi conquistado um a um numa palavra que tem se mantido. O retorno dos símbolos como a bandeira, a estrela, o vermelho não só deixam os envolvidos firmados nos princípios que trouxeram à existência do PT mas sensibilizam a memória dos mais antigos a retomar os rumos da legenda a mantendo identificada com os anseios do povo. E os mais novos? Esses conseguem sair da ociosidade e das futilidades passando a incorporar os valores da militância ousada, rebelde por boas causas e mantendo o sonho de um mundo mais justo e uma nação soberana.

O peso que está sobre os ombros do atual presidente vai ser daqui pra frente cada dia mais leve, a medida que seus companheiros não desanimarem no percurso do caminho e cada um tomar pra si a responsabilidade dada e assumida, nas funções distribuídas.

Não se cansem diante das batalhas, nem desanimem diante das dificuldades. Mantenham-se juntos e unidos, nas lutas do povo e nos momentos de lazer também, pois “há um tempo pra cada coisa acontecer.”

Não cedam a tentação da “mosca azul” pois todos nossos camaradas que se deixaram picar por ela adoeceram e trouxeram a doença pra dentro do partido. Se não fora os mais resistentes aí sim, a legenda teria chegado ao seu fim.

Erguer os olhos e contemplar novos horizontes, sem perder como referência os ideais e sonhos, não baixar a guarda, estar atento as traições (elas sempre virão), compreender e amar quem está junto na trincheira e ao mesmo tempo extirpar quem traiu a confiança, são ações práticas que só tem quem consegue amadurecer e desenvolve a capacidade de discernir.

Finalizo com os versos de Bogo:

“Não haverá outras faces mais felizes

Do que estas penetradas de valores com raízes

Que nascem da alegria do coração

Do sonho e da paixão

Que cada um de nós

Planta em nosso peito.”

Banner Paulo Nailson sobre o autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.