Notícias de Caruaru e Região

Crônica do Dia: POR UM ANO NOVO E BOM – Por Malude Maciel

Malude Maciel
Malude Maciel

O Natal agora vai ficando aos poucos no passado, enquanto olhamos para a frente iniciando um novo ano que almejamos ser bom. Alguns sentem uma certa nostalgia e confusão de pensamentos no que se refere ao que se fez ou se deixou de fazer, realizar, concretizar, como se tudo dependesse da sua vontade e ainda sentem medo do que lhes aguarda o porvir. Acredita-se que o Natal é a época mais feliz do ano, quando o mundo todo celebra a vinda do menino Jesus, enquanto o curso da vida e do calendário avança, alguns têm em sua mente, por algum tempo, aquela magia natalina e, ficam embevecidos pelas luzes das cidades, embora saibam que têm muito para corrigir em seus comportamentos cotidianos a fim de conseguir a verdadeira felicidade. Os caminhos podem ser os mesmos, o que muda é o jeito de caminhar.

Infelizmente, em alguns lares, a figura do “papai Noel” sobrepõe totalmente a do menino-Deus na manjedoura, que é o aniversariante. Mas, à medida que o resplendor do Natal vai ficando pra trás, podemos recordar que o significado da vinda de Cristo não se associa apenas às festividades do feriado popular, que celebramos. Sabemos que, na alegria ou na dor, na escassez ou na prosperidade, em tempos de angústia ou de esperança, podemos viver o Natal. Embora não se saiba a data certa do nascimento do Rei dos reis, vemos sua missão começando em Belém, passando pela crucificação e ressurreição e terminará na consumação de todas as coisas, quando Jesus voltará ao mundo. Nele se cumprem todas as promessas de Deus na História, e o que virá no futuro. Jesus é Deus conosco sempre. Ele, que tanto nos ama, está presente em tempos de alegria e contentamento como também em tempos de dores e misérias.

O Natal também engloba o ano novo que começa no dia primeiro de janeiro e segue pelos outros dias que virão. As esperanças de “Ano Bom” estão todas vinculadas à fé e à confiança no mesmo Deus que nos abençoa, protege e livra de todos os males desse mundo. E quem não precisa da proteção divina? Urge que os homens de boa vontade se multipliquem para realizar a Paz na Terra, pois a humanidade continua carente de Amor, bons sentimentos e prática da honestidade e, não é por acaso que de cada coração salta um grito, uma mensagem de felicidades com todas as vozes entoando um canto de bem aventuranças ao povo sofrido desse planeta.

Estejamos dispostos a viver uma vida diferente e melhor, onde a alegria não seja circunstancial, mas constante, baseada na vontade celestial. Porque o Pai de bondade sonda as nossas intenções e nos dá força e coragem para concretizarmos aqueles ideais mais sublimes e puros que ainda existem no mais íntimo de cada ser humano.

Viver é nascer de novo a cada dia.

 

Sobre a autora:

Maria de Lourdes Sousa Maciel se tornou “Malude” porque seus irmãos não sabiam dizer seu nome completo, como sua mãe insistia. Se tornou poetisa, escritora (Reminiscências de Malude em Prosa e Versos foi seu segundo livro publicado. O primeiro livro publicado intitula-se : No Meu Caminho.) é membro da Academia Caruaruense de Cultura, Ciências e Letras – ACACCIL. Ocupa a Cadeira 15, que tem como patrono a Profa. Sinhazinha.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.