Notícias de Caruaru e Região

CLUBE DO FILME: Mulher-Maravilha 1984 – Por Mary Queiroz

Mary Queiroz
Mary Queiroz

“Se alguém, seja lá quem for

Tiver que morrer, na guerra ou no amor

Não me peça pra entender

Não me peça pra esquecer”

 

É citando parte da canção “Filmes de Guerra, Canções de Amor”, dos Engenheiros do Hawaii, que começo a falar de Mulher-Maravilha 1984, já dizendo que não me peçam para esquecer esta sequência, que após ser adiada diversas vezes devido a pandemia da Covid 19, chegou aos cinemas e permanece em cartaz a quase um mês no Centerplex Cinemas aqui em Caruaru.

Mulher-Maravilha 1984
Cenas do filme: Mulher-Maravilha 1984

Todos devem lembrar que o longa de 2017, dirigido também por Patty Jenkins, consagrou-se trazendo a origem da Mulher-Maravilha em um contexto equilibrado, envolvente, sensível e com uma profundidade emocional espetacular. Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, o filme nos mostrou que Diana Prince (Gal Gadot) nunca tinha saído da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas, porém quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) sofreu um acidente e caiu em uma praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar, certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com a guerra, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

Mantendo o tom de leveza e divertimento, Mulher-Maravilha 1984, já chega cativando muitos corações por exibir uma doce trama que sutilmente fala de guerra e de amor. Apesar de se mostrar diferente do primeiro em muitos aspectos, também existem muitas semelhanças, principalmente na exploração das características da heroína, que lhe foram atribuídas quando foi criada por William Moulton Marston em 1941. Ele a criou sem o exagero de violência presentes nos outros super-heróis, associando sua essência à ideia de heroísmo voltado para valores como altruísmo, empatia e meiguice. Muitas destas características foram brilhantemente desenvolvidas no filme de 2017, e aqui também, elas guiam a trajetória da personagem que mantém os mesmos valores, onde os usa para combater seus novos vilões, utilizando-se mais uma vez só da força e a verdade, em vez de armas, fazendo jus a sua fala, quando diz que odeia armas.

Esta sequência, avança para a década de 80, mais de 50 anos após os eventos do primeiro filme, sendo capaz de lidar com os mais diversos assuntos, abordando-os com inteligência e autenticidade, focando todas as motivações dos personagens em guerras particulares e desejos pessoais. Ao trazer Diana Prince/Mulher-Maravilha (Gal Gadot) entrando em conflito com dois grande inimigos , o empresário de mídia Maxwell Lord (Pedro Pascal) e a amiga que virou inimiga Barbara Minerva (Kristen Wiig), todo potencial de seus poderes são utilizados, como também suas fraquezas são exploradas, relacionando todos estes eventos com seu interesse amoroso, Steve Trevor (Chris Pine) que retornou, possibilitando Diana investigar uma série de acontecimentos que estão deixando o mundo em risco.

Assista o trailler:

Este filme vem surpreender porque seu roteiro além de objetivo, consegue funcionar de acordo com a proposta de toda. Foi bem elaborado, causa impacto e levar o espectador a adentrar num universo único e magnífico, principalmente quando foca em levantar questões sobre desejos pessoais e o que eles poderiam fazer com o mundo e com a humanidade caso fossem realizados, estabelecendo uma conexão com as mais diversas reflexões que são introduzidas na trama, com responsabilidade e leveza. Tudo no filme foi conduzido com sagacidade e propósito definido para desenvolver a importância de como utilizar o poder e força, bem como quais ameaças de guerras poderiam surgir devido a desejos e atitudes extremistas.

Ao falar das atuações, podemos dizer que todas foram bem exploradas e extremamente coerentes com o que foi sugerido no filme. Mulher-Maravilha (Gal Gadot), interpreta bem o papel, principalmente pela carga emotiva dada a sua personagem. Carregada de dúvidas, alegrias, frustrações, incertezas, motivações, ousadia, coragem e honra na hora de fazer renúncias particulares pelo bem da humanidade, continua consciente e politizada, assim como no primeiro filme e mostra que tem sabedoria e capacidade necessária par a conduzir toda a humanidade a refletir sobre a paz e o bem comum, afinal, como diz o vilão, “O mundo é bom, mas pode ser melhor” e ela se aproveita desta fala para os guiar a decidir que sem guerras, o mundo pode ser bem melhor. Falando do vilão Maxwell Lord (Pedro Pascal), ele nos tira o folego por ser um verdadeiro aproveitador de oportunidades. Tem suas habilidades desenvolvidas através da trapaça, que o capacita para enfrentar a heroína com igualdade. Também carrega em sua essência, motivações fortes e importantes. Capaz de atos extremos para atingir êxito em seus objetivos e saciar sua sede de poder, nos conquista porque vemos nele força, coragem e uma ameaça real. Já Barbara Minerva (Kristen Wiig), tem tempo de tela suficiente para ser bem desenvolvida e de fato nos cativa como uma super predadora. Espero que ela retorne em outro filme, afinal tem potencial a ser explorado. E o Steve Trevor (Chris Pine), continua tão envolvente como no primeiro filme, além de ser o responsável pelos melhores momentos de humor nas cenas onde atua com Gal Gadot.

Patty Jenkins, dirige este filme com muita eficiência, mostrando toda nobreza da Mulher-Maravilha ao explorar suas temáticas com profundidade. É essencialmente uma produção que engrandece a jornada da heroína, promovendo uma associação dos seus poderes com sua empatia e amor pela humanidade, nos entregando um belo visual de cores, trilha sonora de Hans Zimmer que casa perfeitamente com cada sequência das cenas de ação, figurino que valoriza os anos 80 e diálogos consistentes, recheados de piadas e doses de humor bem planejadas, além dos efeitos visuais utilizados, sem exageros , mas necessários para o bom desenvolvimento das cenas de ação. Tudo no filme flui com agilidade e leveza, somando para que o filme se torne gostoso de ser ver. No mais, entrega um perfeito equilíbrio entre a razão e emoção, e que no desfecho, assim como no primeiro filme, se alguém estiver que morrer, na guerra ou no amor, seja lá quem for, como Mulher-Maravilha, não podemos querer entender e nem esquecer.


PROGRAMA CLUBE DO FILME

No programa Clube do Filme deste sábado, 09 de janeiro de 2021, segundo programa do ano, às 13h pela Rádio Cultura do Nordeste 96,5 FM/1130 AM, apresentado por Edson Santos e Mary Queiroz , abordará o tema “O DIREITO DE MUDAR”, baseado no filme “A GAROTA DINAMARQUESA”.

Nos estúdios da Rádio, participação de Karynny Oliveira (Doutoranda em Educação e Educadora Feminista), Stephane Fechine da Silva (Fundadora da Associação de Travesti e Transexuais de Caruaru – ATRACA – ) e Jeniffer Mendonça (Psicóloga).

Acompanhe pelas Redes Sociais:

  • SITE:
  • www.radioculturadonordeste.com.br
  • FACEBOOK:
  • www.facebook.com/RadioCultura1130
  • YOUTUBE:
  • RÁDIO CULTURA DO NORDESTE

ASSISTA O PROGRAMA CLUBE DO FILME DE 02 DE JANEIRO DE 2021, CLICANDO NO LINK ABAIXO:

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=759912731605430&id=325783310799280

UM TIO QUASE PERFEITO 2

Em Um Tio Quase Perfeito 2, longe da vida de trambiques e vivendo em harmonia com sua família, Tony (Marcus Majella) reina soberano no coração de seus sobrinhos. Porém, quando sua irmã começa a namorar Beto (Danton Mello), um homem aparentemente exemplar, ele corre o risco de perder a atenção dos pequenos. Determinado a acabar com a “concorrência”, Tony vai fazer de tudo para que Beto não entre oficialmente para a família.

LEGADO EXPLOSIVO

Thriller de ação americano de 2020 dirigido por Mark Williams, a partir de um roteiro de Williams e Steve Allrich . O filme é estrelado por Liam Neeson , Kate Walsh , Jai Courtney , Jeffrey Donovan , Anthony Ramos e Robert Patrick , e segue um ex-assaltante de banco que se transforma em autoridades, apenas para ser armado por eles.

LEGADO EXPLOSIVO foi lançado nos cinemas , inclusive em IMAX , nos Estados Unidos, em 16 de outubro de 2020, pela Open Road Films e Briarcliff Entertainment . O filme recebeu críticas mistas de críticos que elogiaram o desempenho de Neeson, mas notaram a familiaridade do filme.

Tom Carter é um especialista em demolição e uma lenda entre os criminosos. Ele conseguiu roubar uma fortuna sem nunca ter sido pego, mas tudo muda quando ele se apaixona por Annie e decide deixar o crime para trás. Disposto a mudar de vida, Tom aceita se entregar para a polícia em troca de uma sentença reduzida. Mas ele não imaginava que seria enganado por agentes corruptos do FBI, que o incriminam por um assassinato e o obrigam a fazer justiça com as próprias mãos para limpar o seu nome.

PROGRAMAÇÃO DO CENTERPLEX CINEMAS/CARUARU

SALA 01

– MULHER MARAVILHA 1984 DUB (WARNER BROS)

  • AÇÃO – Dublado – 12 Anos – Duração: 151min.
  • Seg., Ter., Qua.: 14h30
  • Sáb., Dom.: 14h30

– LEGADO EXPLOSIVO DUB (WMIX) =ESTREIA=

  • AÇÃO – Dublado – 14 Anos – Duração: 100min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 18h00 – 20h30
  • Sáb., Dom., Feriado: 18h00 – 20h30

SALA 02

– SAPATINHO VERMELHO E OS SETE ANÕES DUB (PARIS FILMES)

  • ANIMAÇÃO – Dublado – Livre – Duração: 93min.
  • Seg., Ter., Qua.: 14h00
  • Sáb., Dom.: 14h00

– MULHER MARAVILHA 1984 DUB (WARNER BROS)

  • AÇÃO – Dublado – 12 Anos – Duração: 151min.
  • Seg., Ter., Qua.: 16h30 – 20h00
  • Sáb., Dom.: 16h30 – 20h00

SALA 03

– UM TIO QUASE PERFEITO 2 NAC (H2O) =ESTREIA=

  • COMÉDIA – Nacional – Livre – Duração: 102min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 17h00 – 19h30
  • Sáb., Dom., Feriado: 17h00 – 19h30

– TROLLS 2 DUB (UNIVERSAL)

  • ANIMAÇÃO – Dublado – Livre – Duração: 100min.
  • Seg., Ter., Qua.: 14h45
  • Sáb., Dom.: 14h45

SALA 04

– MULHER MARAVILHA 1984 2D DUB ATMOS (WARNER BROS)

  • AÇÃO – Dublado – 12 Anos – Duração: 151min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 15h00 – 18h30
  • Sáb., Dom.: 15h00 – 18h30
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.