Notícias de Caruaru e Região

Coluna Ponto a Ponto: A DEMOCRACIA INCOMODA – Por Prof. Carlos Silva

Professor Carlos Silva
Professor Carlos Silva

GOLPE PRÉ DATADO…

Desde que assumiu a presidência o Presidente da República, Jair Bolsonaro parece não acreditar na própria vitória, suas atitudes e suas declarações partem do princípio de que governar significa contrariar todos os princípios democráticos e usar as instituições para fortalecer suas posições achistas e negacionistas. Fazendo uma alusão ao barraco yanque (Invasão do Capitólio Americano) dirigido pelo dublê de ditador Donald Trump e protagonizado pelo seu “gado fantasiado”, disse que “sem voto impresso, eleição de 2022 será pior que a dos EUA, prevendo que poderá ser pior”. Isso é uma clara demonstração de que a direita brasileira sente-se incomodada pelos valores democráticos, porque eles transbordam o principal mal contra o “universalismo republicano”, que se expressa pelo respeito das diferenças, pelo direito das minorias, pelas ações afirmativas. Em compensação, é bom quando mobiliza os indivíduos apáticos da sociedade democrática para a energia da guerra em defesa dos valores direitistas e conservadores. Esse ódio à democracia não é o ódio às instituições democráticas, mas ao sujeito que de fato dá sentido a essas instituições.

O argumento simplório achista do Jair Bolsonaro, ao se colocar contra o voto eletrônico em apoio ao voto impresso, ele demonstra claramente a tentativa de produzir o cupom partidário, ou seja, transforma o pleito eleitoral em uma mercadoria onde o eleitor possa negociar seu voto, e confirmar em quem votou apresentando seu “cupom fiscal”. As contradições, mentiras, achismos e o negacionismo do Presidente Bolsonaro, tem provocado um incômodo internacional, que contraria sua própria posição em favor dos Estados Unidos, país que lhe serve de exemplo, no entanto seu nível é tão baixo que ele questiona a Diebold Brasil de origem americana que venceu as licitações para fabricação e atualização das urnas eletrônicas desde 1998, cuja empresa também possui 60% de participação 60% de participação de mercado em autoatendimento bancário, os famosos caixas eletrônicos.

E NÃO É CHINESA…

A Diebold, com a sua tecnologia, também atua nos segmentos de saúde, varejo, telecomunicações, entre outros. Imagine se fosse uma fábrica chinesa. Para fortalecer o nível baixo de informação e contradição do Presidente Jair, segundo o Jornal do Brasil, na edição de 21 de agosto de 1993, o mesmo fez a seguinte declaração: “Esse congresso está mais do que podre. Estamos votando uma lei eleitoral que não muda nada. Não querem informatizar as apurações”. Agora ele tenta induzir seus apoiadores a essa posição desvairada e antidemocrática.

O AVISO FOI DADO…

Em um país como o Brasil, onde privilégio ao nascer e hegemonia política e econômica foram sinônimos ao longo da história, a ascensão de determinados grupos antes subjugados têm produzido todo tipo de ofensa ao chamado “individualismo democrático”, dando sinais negacionistas e negocionistas preocupantes, quando um chefe de estado se posiciona criminosamente contra os princípios constitucionais, científicos e democráticos. Todavia parafrasenado a musica do Cantor Moacir Freitas, em 2014, “Aonde a vaca vai o boi vai atrás”, Talvez seja a hora do estado de direito começar a dispersar a manada.

Referências: IstoÉdinheiro. – Jacques Rancière – Ódio à Democracia

Sobre o autor:

Carlos Silva é Professor, Palestrante, cientista social, com graduação em Sociologia-UFPE, com especialização em Matriz agroecológica e Biossegurança, casado, residente em Caruaru-PE, autor de o livro O Despertar de Pangeia e comentarista social, como colaborador da Rádio Cultura do Nordeste no Programa Cultura Informa.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.