Notícias de Caruaru e Região

CLUBE DO FILME – Tom & Jerry: O Filme – Por Mary Queiroz

Diversão e rivalidade entre o gato e o rato garantida

Mary Queiroz
Mary Queiroz

Criados por William Hanna e Joseph Barbera em 1940, a dupla Tom e Jerry divertiu e levou entretenimento para muitas gerações. A clássica disputa entre o gato e o rato, que também fez parte da minha infância nos anos 90, agora volta em um filme totalmente apaixonante.

Para quem acompanhava a gostosa rivalidade entre os dois personagens, deve lembrar que o centro das tramas, se baseava geralmente em tentativas frustradas de Tom tentando capturar Jerry, deixando um rastro de caos e destruição, lembrando ainda que Tom raramente conseguia prender Jerry, principalmente por causa de sua própria estupidez, acompanhada da falta de inteligência e esperteza, mas também devido as habilidades do engenhoso ratinho, sempre independente e oportunista. As perseguições eram eletrizantes e vinham acompanhadas por uma boa trilha sonora. Também eram utilizadas diversas armadilhas e truques que no final não davam resultado satisfatório, como bombas e ratoeiras, coisas que eram fundamentais na batalha entre o gato, o rato e alguns personagens que também marcavam presença nas tramas como o bulldog Spike.

Tom e Jerry
.

Uma característica nos episódios é que Jerry geralmente saia triunfante das inúmeras batalhas, enquanto Tom era o perdedor. Entretanto, outros resultados podiam ser alcançados, em ocasiões raras, quando Jerry atuava como o instigador, havia triunfos de Tom. Às vezes, ironicamente, ambos perdiam ou ambos, em casos mais extremos, terminavam amigos, mas ambos possuíam tendências sádicas, o que demonstrava em proporções iguais a intenção de um atormentar a vida do outro. Entretanto, dependendo da situação, sempre que um dos personagens parecia estar em uma situação de perigo por um inimigo extra, o outro faria o possível para tira-lo daquela situação. E também quando ambos encontram um inimigo em comum, quase sempre trabalham juntos para derrotá-lo.

Toda essa introdução foi para chegar ao nosso comentário sobre Tom & Jerry: O Filme, que brilhantemente entrega toda essa essência e características numa trama onde mantém viva a rivalidade dos dois. O roteiro bem pensado, nos apresenta, através da união e combinação da animação clássica e live-action, todos os acontecimentos, nos impressionando com a nova aventura de Tom e Jerry, mais uma vez, envolvidos na velha e boa briga de gato e rato, reacendida quando Jerry se muda para o Hotel Royal Gate, o melhor de Nova York na véspera do “casamento do século”, forçando a desesperada organizadora do evento a contratar Tom para se livrar do rato, que com sua simples presença, ameaça destruir a carreira dela, o casamento e até o próprio hotel. Porém, ao surgir um problema ainda maior, devido a um funcionário diabolicamente ambicioso conspirar contra os três, Tom e Jerry, são forçados pelas circunstâncias, fazer o impensável e começar a trabalhar juntos para salvar o dia, deixando a batalha de gato e rato mais atrativa. Por este motivo, cativa qualquer espectador com sua história leve e bem humorada. Aqui a rivalidade entre gato e rato é bem trabalhada, regada de humor e teimosia dos personagens na dose certa, embalada por uma trilha sonora marcante.

Só em misturar animação e live action, Tom & Jerry: O Filme, passa a pertencer à safra de filmes que zelam pelo entretenimento para toda família. Ou seja, é uma produção que vai agradar a todas as idades e, que além de divertir, guarda alguns ensinamentos morais relevantes. Aqui, a importância da sinceridade, união e companheirismo, sem dúvida, são as maiores lições. Os pequenos gestos de redenção são valorizados sobre o mundo material e características como generosidade e bom-humor são destacadas.

A direção é de Tim Story, que fez “Taxi” (2004) e “O Quarteto Fantástico” (2005) e aqui executa um excelente trabalho. Em nenhum momento faz que Tom & Jerry: O Filme seja algo que não é. Se compararmos a tudo que já assistimos sobre os dois personagens, vamos perceber que tudo o trabalho de direção é feito em referência a sua criação e também a outros filmes que marcaram gerações, mas é exatamente a falta de inovação que nos aquece o coração e nos conquista, criando aquela sensação incrível de poder dar uma risada pelo simples fato de já ter assistido muito daquilo quando a gente era criança, claro trazendo também uma atualização da história com a tecnologia de hoje, e redes sociais, mas mantendo toda a essência que faz Tom e Jerry serem personagens tão queridos. É claro que não poderia deixar de falar dos efeitos especiais, principalmente nas cenas onde Tom e Jerry são introduzidos no ambiente real, que por sinal, funcionam eficientemente cena por cena, onde ambos deixam o tão esperado rastro de caos e destruição em quase todos os ambientes do Hotel Royal Gate e na festa do casamento do século. Seus efeitos são deslumbrantes desde a fusão de animação com cada ambiente e nas sequências com atores e quando eles interagem com os animais, tudo funciona muito bem.

O grande acerto do filme também se encontra no elenco, destacando o desenvolvimento da atriz Chloë Grace Moretz, de que já atuou em alguns filmes que gosto como “Vovó… Zona 2” (2006) , “Carrie – A Estranha” (2013), “O Protetor” (2014) e “A 5ª Onda” (2016), aqui, ao interpretar Kayla, a narrativa misteriosamente simples, consegue entregar várias camadas de sua essência e de cara, somos apresentados a ela, arrebatando corações com sua firme ternura em uma personagem que ela parece ter nascido para fazer. Sua beleza, aliada à sua voz gentil e ao seu talento em demonstrar inocência com esperteza, casa perfeitamente com os dois personagens principais dessa história, por sua vez, sendo a companheira ideal para trabalhar em conjunto com Tom no plano de exterminar Jerry. Seu ar inocente, mas maroto por todo o momento, aumenta a evidente cumplicidade que existe entre ambos e isso fica subentendido na obra, graças a sua postura corporal, aliada aos seus passos delicados, em alguns momentos rápidos em outros devagar, mas que transmitem a leveza e sinceridade que a personagem precisa, principalmente quando se encontra encurralada pelo seu supervisor ambicioso, Terrance, vivido por Michael Peña, de “Homem-Formiga” (2015), “Homem-Formiga e a Vespa” (2018) e a ” A Ilha da Fantasia” (2020). Michael Peña também entrega uma excelente atuação, principalmente quando interage com Tom, Jerry e o bulldog Spike, em algumas cenas super engraçadas e outra onde rola o maior quebra pau entre os animais.

Em Tom & Jerry: O Filme, o que mais surpreende é justamente o material encontrado pelo espectador. Ele não foge daquilo que já é conhecido, mas sim aproveita realmente para lhe levar para mais um passeio ao seu molde clássico através dos seus personagens. Grandes perseguições são executadas com uma grande perfeição, independente do número de personagens envolvidos. Imprime a doçura e a rigidez dos dissimulados personagens na medida certa, o que nos deixa felizes com o que foi assistido e nos faz amá-los mais ainda.

PROGRAMA CLUBE DO FILME

O programa Clube do Filme deste sábado, 20 de fevereiro 2021, às 13h pela Rádio Cultura do Nordeste 96,5 FM/1130 AM, apresentado Edson Santos e Mary Queiroz terá como tema: “AS NOVIDADES DO CINEMA PERNAMBUCANO EM 2021”. Nos estúdios da Rádio, participação de Eryka Vasconcelos (Diretora do Curta: “O ÚLTIMO AVISO”), Paulo Conceição (Make Up de Cinema) e Luciano Torres (Ator e Produtor do Festival de Cinema de Caruaru).

Acompanhe pelas Redes Sociais:

  • SITE:
  • www.radioculturadonordeste.com.br
  • FACEBOOK:
  • www.facebook.com/RadioCultura1130
  • YOUTUBE:
  • RÁDIO CULTURA DO NORDESTE

MONSTER HUNTER

Filme de ação e fantasia científica de 2020 kaiju produzido, escrito e dirigido por Paul WS Anderson , baseado na série de videogame de mesmo nome da Capcom . O filme é estrelado por Milla Jovovich , esposa de Anderson,em sua quinta vez trabalhando juntos como diretor e ator principal. Os outros membros do elenco incluem Tony Jaa , Tip “TI” Harris , Meagan Good , Diego Boneta , Josh Helman , Jin Au-Yeung e Ron Perlman .

Uma adaptação cinematográfica baseada na série está em concepção desde 2012 pelo diretor Paul WS Anderson. O filme foi anunciado formalmente pela Capcom em outubro de 2018, com produção começando naquele mês com a Constantin Film . As fotos principais do filme começaram em 5 de outubro de 2018 e foram concluídas em 19 de dezembro de 2018, na Cidade do Cabo, África do Sul.

Monster Hunter foi lançado na China em 4 de dezembro de 2020 e nos Estados Unidos em 18 de dezembro de 2020 pela Sony Pictures Releasing por meio do selo Screen Gems (excluindo Alemanha, Japão e China). O filme recebeu críticas mistas da crítica especializada, com elogios aos efeitos visuais e sequências de ação.

No “Novo Mundo”, onde os humanos coexistem com uma grande variedade de monstros grandes e selvagens, um Hunter, um guerreiro treinado para caçar e matar essas criaturas poderosas, é separado de sua equipe quando seu navio é atacado.

No mundo real, a capitã do exército dos Estados Unidos, Natalie Artemis, e seu esquadrão procuram um grupo de soldados desaparecidos no deserto. Uma tempestade repentina os puxa para um portal para o Novo Mundo, onde eles encontram os restos dos soldados desaparecidos e seus veículos. Quando um Diablos, um monstro subterrâneo com chifres, se aproxima deles, o Caçador, que está observando o grupo, dispara um sinal de alerta. Impermeável a balas e granadas, o Diablos ataca e mata vários membros do esquadrão.

Os sobreviventes se escondem em uma caverna, onde são atacados por um bando de Nerscyllas semelhantes a aranhas. Todos são mortos, exceto Artemis, que corre para o Hunter enquanto tenta escapar. Eles brigam brevemente antes de concordar relutantemente em cooperar. Artemis descobre que os portais são criados pela Sky Tower, uma estrutura localizada no deserto. Para chegar à Torre, o Caçador revela que precisará matar os Diablos. Artemis aprende como lutar usando as armas de lâmina exclusivas do Hunter e o ajuda a preparar uma armadilha para os Diablos matarem com o veneno de Nerscylla. O ataque é bem-sucedido, com Artemis dando o golpe final, mas o Caçador está gravemente ferido. Construindo uma maca improvisada, Artemis obedientemente o carrega pelo deserto.

PLANET CINEMAS (Shopping Difusora)

  • Devido a pandemia do Coronavírus, as salas de exibição estão fechadas ao público

CENTERPLEX (Caruaru Shopping)

SALA 01

– MULHER MARAVILHA 1984 DUB (WARNER BROS)

  • AÇÃO – Dublado – 12 Anos – Duração: 151min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 16h30
  • Sáb., Dom.: 16h30

– LEGADO EXPLOSIVO DUB (WMIX)

  • AÇÃO – Dublado – 14 Anos – Duração: 100min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 19h45
  • Sáb., Dom., Feriado: 19h45

SALA 02

– MONSTER HUNTER DUB (COLUMBIA) = ESTREIA=

  • AÇÃO – Dublado – 14 Anos – Duração: 103min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 16h00 – 18h15
  • Sáb., Dom., Feriado: 16h00 – 18h15

– #SEM SAÍDA DUB (PLAYARTE)

  • SUSPENSE – Dublado – 16 Anos – Duração: 91min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 20h30
  • Sáb., Dom., Feriado: 20h30

SALA 03

– TOM & JERRY – O FILME DUB (WARNER BROS)

  • AVENTURA – Dublado – Livre – Duração: 102min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 14h30 – 17h00
  • Sáb., Dom., Feriado: 14h30 – 17h00

– PINÓQUIO DUB (WMIX)

  • FANTASIA – Dublado – 10 Anos – Duração: 137min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 19h30
  • Sáb., Dom., Feriado: 19h30

SALA 04 (ATMOS)

– MONSTER HUNTER DUB (COLUMBIA) =ESTREIA=

  • AÇÃO – Dublado – 14 Anos – Duração: 103min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 20h15
  • Sáb., Dom., Feriado: 20h15

– TOM & JERRY – O FILME DUB (WARNER BROS)

  • AVENTURA – Dublado – Livre – Duração: 102min.
  • Qui., Sex., Seg., Ter., Qua.: 15h30 – 18h00
  • Sáb., Dom., Feriado: 15h30 – 18h00

Sobre o autor

Mary Queiroz é radialista e cinéfila, apresenta o Programa Clube do Filme, todos os sábados a partir das 13h, junto com o radialista Edson Santos pela Rádio Cultura do Nordeste 96,5 FM. Sugestões: [email protected]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.