Notícias de Caruaru e Região

Despersonalização e Desrealização: Transtornos pouco conhecidos que afetam muitos

Texto de Soraya Rodrigues de Aragão

Soraya Rodrigues de Aragão, CRP 11- 06853
Soraya Rodrigues de Aragão, CRP 11- 06853

A despersonalização e a desrealização são fenômenos dissociativos que, quando leves, se traduzem como uma busca de adaptação do organismo em meio a um fator de estresse e são extremamente normais. Acontecem quando o organismo necessita dar uma pausa para se recompor e, desta maneira, se abastecer para continuar as atividades; neste caso, é um importante mecanismo de defesa do nosso corpo: o famoso “stop please” que acontece em casos específicos como privação de sono, excesso de trabalho, de estudo, de preocupação por algo, etc., estando intimamente relacionado com a ansiedade e o estresse.

A pessoa ansiosa e preocupada torna-se refém de suas preocupações por tempo ininterrupto, ocasionando a falência adaptativa do organismo, gerando estresse e adoecendo. Neste caso, se a pessoa não para, o organismo o faz, não tenha duvida. Quem nunca sentiu um zumbido quando estava muito cansado (a) depois de uma noite inteira acordado (a) em atividade de estudo ou trabalho? Uma dormência generalizada no corpo quando estava experimentando uma preocupação por longo tempo? A pessoa em constante tensão pode desenvolver uma sensação de estranhamento de si mesma e do mundo à sua volta, como se estivesse vivenciando um sonho ou observando, do lado externo, os seus próprios processos mentais e tendo consciência de que aquele processo não é normal. Não se preocupe; Não é nada demais, é apenas seu organismo pedindo pra descansar e é temporário. A palavra-chave é estresse. Depois de um bom descanso, tudo retorna à normalidade.

Entretanto, precisamos também nos lembrar que a desrealização e a despersonalização fazem parte da sintomatologia de alguns distúrbios psiquiátricos como, por exemplo, o Transtorno do Pânico e quando associados a outras patologias, merecem mais atenção.

Quanto à Psicopatologia, existem alguns distúrbios como esquizofrenia, síndrome do pânico, depressão, transtorno borderline, entre outros que apresentam fortes sintomas dissociativos que caracterizam a doença e que necessitam de diagnóstico seguido de intervenção medicamentosa e psicoterápica, pois não se trata de sintomatologia temporária e requer tratamento.

De qualquer modo é interessante ressaltar a importância da ajuda psicológica, seja preventiva ou quando o problema já está deflagrado. Se você se sente ansioso, estressado, angustiado, procure a ajuda de um profissional da psicologia. O psicólogo é um importante propulsor de muitos processos importantes como: administração das emoções, da raiva e dos impulsos, da gestão do estresse, entre outros.

Soraya-Banner Rodapé da Coluna

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.