Notícias de Caruaru e Região

O essencial invisível aos olhos, mas sentido pelo coração. Por Prof. Kardecky Lima

Professor Kardecky Lima
Professor Kardecky Lima

Centro Espírita é um lugar de apoio, consolação, instrução, e conhecimento. Este núcleo tem trabalho interdimensional, unindo seres encarnados e desencarnados num trabalho de ajudas principalmente nos campos da saúde, da orientação por meio da base Doutrinária de Estudo e também muitas vezes na distribuição de alimentos, roupas e comida, entre outras ações caritativas aos mais necessitados socialmente.

Nos Centros há toda uma estrutura espiritual, invisível aos olhos humanos dos encarnados, tendo muitas salas, compartimentos onde o tamanho espiritual destes pontos de apoio são enormes, muito maiores que seus espaços físicos, principalmente em relação aos grupos espíritas menores, por terem um limitado espaço físico. É construída toda esta infraestrutura espiritual nestes espaços justamente para melhor atender as pessoas diante suas vastas demandas. Importante refletir que isto acontece não só nos centros espíritas mas em todos os templos sérios, destinados ao bem, nas mais variadas religiões, mesmo ainda sendo desconhecida ou até negada por muitos leigos esta realidade.

Evidentemente que cada casa ou lugar que desejem o bem e trabalhem por ele, também terão seus espíritos amigos e alguma proteção maior, ou menor, a depender da energia dos moradores deste ou daquele local, e suas reais intenções de boa vontade, bondade e abnegação à certa rotina de compromissos do ponto de vista espiritual, realizados naquele local.

De fato não são as paredes físicas, nem muito menos a ostentação de grandes templos de pedras, que garantem a qualidade do que ali se faz, ou a proteção exclusiva à estes lugares. Há inclusive uma vantagem aos pequenos grupos religiosos, que é o fato de todos se tem chamados pelo nome, facilitando uma verdadeira união entre os membros, numa verdadeira sensação de encontros familiares de estudo e disciplina espiritual.

Neste período de pandemia, muitos templos tem realizado suas atividades de forma virtual e incentivando seus membros a fazerem de suas casas verdadeiros espaços religiosos, igualmente como se estivessem nas igrejas, Centros Espíritas, etc. Esta permissividade à reuniões espirituais regulares em casas, não foi nunca bem visto por grande parte conservadora do movimento espírita e muito menos pelas alas conservadoras das igrejas católicas e protestantes. Isto porque logicamente representa, de certa forma, uma autonomia aos fiéis, fazendo-lhes perceber o que o próprio Jesus Cristo deixou tão claramente exposta na frase: ” onde dois ou mais estiverem reunidos em Meu Nome, ali eu estarei”.

No que tange aos Centros Espíritas, podemos dizer que, historicamente, praticamente todos, surgiram nas casas de seus fundadores, à começar pela Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, primeiro Centro Espírita do Mundo, que por um bom tempo funcionou na residência do Professor Allan Kardec. Estes Centros funcionaram nas casas das pessoas e lá permaneceram por longos períodos, até surgir a possibilidade de ir para um espaço físico maior, outros permanecem e sempe permaneceram funcionando nas casas de seus dirigentes, sem problemas, e, logicamente ali tendo o mesmo suporte espiritual de grandes templos de pedras, valendo ressaltar, que em alguns casos, ainda com mais amparo dos mentores espirituais, justamente por serem células despreocupadas com a soberba intelectual ou a ostentação do que é transitório em detrimento da essência.

Até hoje em dia, existem residências que se fazem grandes templos, e grandes templos que se constituem em apenas associações de beleza externa e pouca fraternidade interna.

No Brasil, o primeiro Centro Espírita surgiu em Salvador/BA, com o nome de Grupo Familiar de Espiritismo, evidentemente com as reuniões realizadas na residência do fundador Luiz Olímpio Teles de Menezes.

Na realidade, reuniões espíritas sempre foram feitas em casa, de maneira explícita ou escondida, e quando são realizadas com sinceridade, boa vontade e amor, aquele espaço onde ela é feita, transforma-se num grande conglomerado espiritual, como em qualquer Centro Espírita. Neste período de pandemia que vivemos, penso que realmente é muito importante termos as possibilidades de reuniões virtuais, se, e somente se de fato não existir condições das reuniões presenciais ou por respeito à um decreto. Entretanto na minha visão faz-se muito necessário o contato interpessoal nos Centros Espíritas, sejam eles grandes ou pequenos fisicamente, ainda em espaços caseiros ou de mega estrutura. Pois estes espaços possuem uma construção invisível de proteção, energização específica adequada aos trabalhos ali realizados, e enfim, uma psicosfera já montada para o bom andamento das atividades. Finalizo dizendo que realmente é importante compreender que templos de pedras em geral, nada são sem a presença humana. Entretanto reconheço, e tenho certeza de que certas atividades virtuais não se comparam à energia e a vibração das mesmas sendo realizadas nos locais onde para além dos templos visíveis há também todo um aparato espiritual, importante na união de almas e sucesso dos objetivos espirituais mais puros e profundos.

Sobre o autor

Kardecky Lima é Professor, Articulador Político, Palestrante Espírita, Compositor, e Ex-Gestor Escolar. Sigam o Professor Kardecky em sua rede social @kardecky_limamedium

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.