Notícias de Caruaru e Região

Coluna do Dia – Livre-se dos tóxicos! – Por prof. Kardecky Lima

Professor Kardecky Lima
Professor Kardecky Lima

Analisaremos hoje o fator energético nas relações humanas, as sensações de calma e leveza como também as relações de absorção negativa de energias, no que chamamos de toxicidade no cotidiano familiar, social e profissional.

As relações tóxicas são mais comuns do que se possa imaginar e estão ao nosso redor constantemente. São provenientes de pessoas negativas que sugam nossas energias, reclamam sempre de tudo, nos alugam para ouvir longas histórias desconexas e/ou mentirosas. Mas não são só essas. São também os falsos amigos que querem se aproveitar da sua boa vontade, utilizar o que você faz de melhor em benefício deles, e quando conseguem o que querem, desaparecem, deixando àquele contato, literalmente, apenas o uso de você, sem respeito, sem reciprocidade e hipócritas no falar e no agir.

As pessoas tóxicas podem literalmente adoecer outras pessoas, só pela proximidade energética, através de um olhar ou abraço falso, por sempre terem em mente e no coração ideias egoístas, pensamentos maldosos e por sentirem alegria e prazer com a derrocada alheia.

.

Os invejosos, que fazem de tudo para ter as vitórias do outro, mesmo quando já são bem sucedidos, mas sentem prazer em ver a ruína do outro e nisto depositam suas energias ao invés de trilhar seus próprios caminhos e buscar seus objetivos com honestidade, lealdade e respeito aos que chamam de amigos, inclusive usufruindo das próprias conquistas. Perdem demasiado tempo em ser figurante da vida alheia, em cobiçar as melhorias do outro porém não cobiçam a cruz e as lutas que o outro está passando.

Também estão presentes no meio familiar, as pessoas tóxicas, são as que nunca valorizam o que um outro familiar faz de bom, desconsideram as virtudes, capacidades e conquistas daqueles mais próximos e, vez por outra, criticam com veemência as falhas, os defeitos ou aquilo que acham errado, na concepção deles, sobre a conduta do outro. Podem chegar a querer ditar como deveria ser a vida do outro, tomando para si um caráter de sumidade a ser seguido.
Evidentemente como todos nós temos erros, é importante não generalizar e passar a não confiar mais em ninguém e afastar-se de todas as pessoas, assim estaríamos caindo num isolamento perigoso que não solucionaria o problema, tendo em vista que somos seres sociais. Há evidente necessidade de vivermos em sociedade e aprendermos a conviver melhor com todos. Entretanto não podemos nos abrir demais para aqueles que já sabemos, por experiências vividas, que não se importam conosco, nunca moveram uma palha por nós e só nos procuram quando precisam.

A decepção, a deslealdade e a ingratidão fazem parte das relações humanas, todavia é nosso dever nos proteger energeticamente, através do amor-próprio, autoestima em dia, respeito por si mesmo, respeito pelos seus princípios e força energética necessária para conter essas pessoas.

Conforme o dito popular “se conselho fosse bom não se dava, se vendia!”, uma dica é que, uma distância respeitosa é muito mais válida do que uma aproximação hipócrita pois quem é bom na boca de quem não presta, nunca vai valer nada, e “quem se junta com porcos, farelo come!”.

Sobre o autor

Kardecky Lima é presidente do Centro Espírita Florescer (CEFLOR) e Palestrante Espírita.
Fone: (81) 99546-2759
Rede Social: @kardecky_limaa

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.