Notícias de Caruaru e Região

Paulo Gustavo: a nova Marielle?

Na foto, Paulo Gustavo com a ex-presidente Dilma Roussef
Na foto, Paulo Gustavo com a ex-presidente Dilma Roussef

A morte do artista Paulo Gustavo parece ser uma das mais sentidas pelos brasileiros dentre as mais de 400 mil causadas pelo coronavírus. Aos 42 anos, saudável, com acesso a tratamentos caros, ainda assim o ator foi vítima de uma doença para a qual já existe vacina.

A óbvia associação da fatalidade com as várias recusas do governo em comprar vacina – só da Pfizer, foram 11 negativas – foi avivada nas redes sociais e incomodou o séquito bolsonarista da Câmara.

O deputado Otoni de Paula (PSC-RJ), um dos principais defensores do presidente na Câmara, disse que Paulo Gustavo está sendo transformado pela esquerda “na nova Marielle”. Ou seja, que a morte dele estaria virando munição para atacar Bolsonaro.

Bom, há várias suspeitas envolvendo o núcleo próximo de Bolsonaro ao assassinato da vereadora do Rio. Esperamos que todas elas sejam investigadas. No caso da pandemia, o escrutínio da CPI da Covid tem mostrado que os ministros da Saúde ouvidos foram unânimes em discordar dos métodos do presidente para conter os caos.

Ontem, os deputados interromperam uma sessão para aplaudir Paulo Gustavo por um minuto. Ele não merecia e não precisaria morrer. Mas mereceu todos os aplausos.

“Às 21h12 desta terça-feira, lamentavelmente o paciente Paulo Gustavo Monteiro faleceu, vítima da Covid-19 e suas complicações. Em todos os momentos de sua internação, tanto o paciente quanto os seus familiares e amigos próximos tiveram condutas irretocáveis, transmitindo confiança na equipe médica e nos demais profissionais que participaram de seu tratamento. A equipe profissional que participou de seu tratamento está profundamente consternada e solidária ao sofrimento de todos”, informou o último boletim médico.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.