Notícias de Caruaru e Região

Coluna do Dia – Das dores do corpo e da alma. – Por Prof. Kardecky Lima

Professor Kardecky Lima
Professor Kardecky Lima

Quando nos deparamos com as dores do corpo, problemas advindos das mazelas do mundo e, algumas vezes do desgaste do próprio corpo material, quando nos vimos em situações de dificuldades materiais que perturbam nosso dia-a-dia e a realização dos nossos projetos, clamamos aos céus para que cheguem a solução para nos tirarmos do abismo e da tristeza que nos encontramos. Por vezes, temos a sensação de que nossas orações não chegam nem ao teto de nossas casas, quanto mais das mãos do Divino. Temos muitas vezes a sensação de que estamos sozinhos e abandonados, contando apenas com a nossa sorte e discernimento para tomar decisões sobre isso ou aquilo.

Queremos a cura das nossas dores físicas e psicológicas, queremos a resolução dos problemas seja qual natureza for mas, dificilmente, paramos para analisar qual o sentido e ensinamento que precisamos tirar dessas situações, mesmo que sejam situações provocadas por nós mesmos ou outrem.

Quando nós olhamos essas situações, de limitações físicas, de problemas, nós às vezes pensamos que ela se restringe à dimensão material das nossas vidas. Porém, como existem os cegos que não enxergam a luz do sol, existem outros cegos do Espírito que não enxergam as dimensões mais elevadas da vida, que não enxergam o bem, embora estejam diante dele, que não enxergam a verdade, que não enxergam as necessidades do próximo. Não são cegos do corpo, mas são cegos do Espírito.

Temos como exemplo, as curas feitas pelo Mestre Jesus. Devemos sempre extrapolar a sua atuação para além das dimensões meramente do corpo físico. Uma das suas curas mais peculiares, foi uma cura feita em Jericó, onde o cego de nascença grita pelo Mestre para que tenha misericórdia dele. Jesus o chama e pergunta-lhe o que aquele homem quer que Ele faça. Era óbvio que seria a cura da cegueira, porém, o Mestre, ao fazer esta indagação, faz com que o indivíduo exponha sua necessidade, que poderia ser outra que não fosse a cegueira, para nos ensinar que devemos saber o que realmente desejamos, porque a vontade é a força da realização. Cegos existem do veículo físico, cegos da alma, cegos da inteligência, cegos dos sentimentos.

citação
.

“Bem-aventurados os que têm os olhos fechados!”. Tem pessoas que têm a visão dos olhos físicos, mas essa visão pode promover a sua queda social desejando coisas e situações que levariam a erros, cobiça, inveja, luxúria, preconceitos, julgamentos descabidos. Enquanto que as pessoas que estão cegas fisicamente conseguem ver e perceber pela alma, sendo uma pessoa aberta aos sentimentos de fraternidade, acolhida e bons sentimentos.

Enxergar é também perceber as diferenças que existem no mundo e é preciso nos posicionarmos diante desse mundo, ver o nosso íntimo e ver onde nós estamos diante do encontro com as mais variadas pessoas sejam elas mais ou menos equivocadas, mais ou menos sábias, mais ou menos amorosas. Nenhum de nós está alheio às leis Divinas. Quando nos encontramos em determinadas consequências das nossas atitudes, precisamos trabalhar não os seus efeitos mas as suas causas, vendo-nos a situação de que precisamos nos transformar, nos melhorarmos como pessoas, de maneira que, nosso comportamento torna-se díspares do que vivíamos. Como nos exemplos dos curados por Jesus, e buscando seguir seus ensinamentos, muitos do nosso convívio começam a achar estranho nossas atitudes, às vezes de silêncio, de tolerância, de compreensão, de amor…nem sempre estes são valores promulgados pela sociedade como sendo os mais importantes. Mas esta postura apenas conseguimos quando alargamos a nossa visão para os horizontes estendidos dos ensinamentos do Mestre, uma delas, e bem às claras, são as Bem-Aventuranças do Sermão do Monte.

A busca de valores espirituais não é feita sem esforço próprio. Precisamos colocar em nosso projeto de mudança itens como: o nosso esforço, dedicação e tempo. Ninguém garantirá características de elevação moral se não se esforçar na lide cotidiana. Não lograremos realizar o progresso íntimo, sem dificuldades, sem desafios, pois estes são oportunidades de fortalecimento, porque o que acontece conosco, muitas vezes de ruim ou desagradável são somente provas para avaliar se de fato nós temos angariado aquilo que somos capazes de compreender com a nossa razão, de compreender com nosso sentimento. Não adianta que busquemos somente a cura dos males, é essencial que nos voltemos para a causa, para a origem, para que a origem sendo tratada, o mal não seja necessário, mas como um alerta para nossos caminhos equivocados.

E que, após conseguirmos nossa melhora como seres humanos, possamos dizer como o cego de Jericó: “Antes era cego, não via, não era capaz de enxergar”, pois após a busca de valores espirituais e conquistas dessa natureza, seremos levados a enxergar não apenas com os olhos do corpo físico, é fundamental que vejamos com os olhos do Espírito.

 

Sobre o autor

Kardecky Lima é presidente do Centro Espírita Florescer (CEFLOR) e Palestrante Espírita.
Fone: (81) 99546-2759
Rede Social: @kardecky_limaa

 

1 comentário
  1. José Carlos Firmino Diz

    O profeta Daniel orou e seu pedido foi imediatamente atendido, a questão é que, de tanto olhar para o problema, não enxergamos a solução.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.