Notícias de Caruaru e Região

Mucormicose: qual a relação do “fungo preto” com a covid-19?

Pneumologista explica correlação e tira dúvidas sobre essa doença rara

Mucormicose
Mucormicose

Desde o último fim de semana, quando a Secretaria Estadual da Saúde de Pernambuco informou que foi notificada a respeito de um caso por infecção por mucormicose, quadro conhecido popularmente como “fungo preto”, a doença se tornou o centro das atenções em meio à pandemia, ainda mais pela possível relação com a covid-19. Neste ano, no Brasil, já foram descobertos 29 casos, onde pelo menos quatro são investigados pela associação com a covid-19.

“A mucormicose, ou popularmente chamada de fungo preto, é a doença fúngica causada por um elemento presente na decomposição da vegetação, frutas e animais, e até mesmo no solo e algumas plantações. Esse fungo tem uma penetração muito fácil por via aérea superior, nariz e boca. Pelo nariz, ele vai começar a causar um sintoma gripal nos casos leves, podendo levar até mesmo a destruição da cartilagem nasal nos casos mais graves. Pela proximidade ele pode, a partir do nariz, atingir também os olhos. Ele vai levar a sintomas oculares, podendo chegar em alguns casos mais críticos à cegueira”, afirma o Dr. Amaro Capistrano, médico do Grupo São Gabriel.

O fungo preto é uma doença ainda muito rara, poucas pessoas são suscetíveis, porque precisa ter um sistema imunológico muito comprometido para se contaminar. “É uma doença que se assemelha ao HIV, ele vai tentar destruir esse sistema imunológico, e pessoas que tem o sistema imunológico comprometido, é que seriam mais suscetíveis a esse tipo de acometimento. Pessoas rigidamente sabidas, nutridas, com comportamentos saudáveis, são menos suscetíveis, que se ocorresse de pegar essa infecção, seria em casos mais leves. Ela pode também atingir o cérebro levando alguns casos de convulsão, como também micose de pele”, explica o pneumologista, que finaliza falando da relação com a covid-19 e do tratamento.

“No momento, alguns portadores da covid-19 possuem um sistema imunológico deficitário e estão no uso de corticoides por muito tempo, e esse fungo, presente no meio ambiente, pode se propagar com mais facilidade, e este paciente sim apresentará um quadro mais grave, do ponto de vista pulmonar. É uma doença sim contagiosa, mas como se sabe, para pacientes que tenham comprometimento do sistema imunológico. É muito importante que exista tratamento de imediato com antifúngicos, e vale lembrar que não é um quadro que está se disseminando por conta do Covid-19, ele já existe há muito tempo na natureza, mas ele só se propaga em pacientes que tenham o sistema imunológico deficiente”, conclui.

Home

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.