Notícias de Caruaru e Região

Nossa frágil democracia está correndo riscos?

artigo opiniao
.

Nos últimos anos, vimos manifestações das Forças Armadas tentando intimidar os poderes da República. A última, e das mais preocupantes, se deu na noite de quarta-feira (7), com o pronunciamento que atacou a CPI da Covid e o Senado Federal.

Os militares disseram que “não aceitarão qualquer ataque leviano às instituições” e prometeram uma reação “mais dura” caso a CPI volte a citar suspeitas de corrupção envolvendo as Forças Armadas.

Exército, Marinha e Aeronáutica têm a missão constitucional de zelar pelas instituições e preservar a lei e a ordem. Mas fazem exatamente o contrário quando lançam ameaças e provocam a instabilidade da nossa jovem democracia.

Ao se voltarem contra uma comissão parlamentar que segue as regras da Constituição e revela fatos importantes para a saúde da população brasileira, os militares optam pelo caminho autoritário de ceifar o debate, as investigações e possíveis correções de irregularidades.

(Ou será que eles acreditam que todo militar é absolutamente incorruptível e 100% correto em seus atos? Se sim, será que poderiam passar essa fórmula para nós, reles mortais?)

O Congresso em Foco se juntou a mais de 50 entidades da sociedade civil para manifestar repúdio e preocupação com as “mãos dadas entre o autoritarismo do presidente e as armas dos militares”, como diz a nota, que você pode ler na íntegra abaixo.

E você, acredita que as instituições devem responder à altura para preservar a nossa democracia?

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.