Notícias de Caruaru e Região

Festival Internacional de Cinema Fantástico “Floripa Que Horror!”

Toda a programação será gratuita e o evento ocorrerá entre os dias 4 e 7 de novembro de 2021.

Floripa Que Horror

 

A primeira edição do Festival Internacional de Cinema Fantástico “Floripa Que Horror!” aconteceu em 2019, no teatro Centro Integrado de Cultura (CIC). E agora, o Floripa Que Horror chega à sua segunda edição em 2021. O Festival é o primeiro em Florianópolis, capital da magia e ilha das bruxas, em Santa Catarina, focado no gênero do horror e do fantástico. A programação da nova edição estará disponível gratuitamente, entre 4 e 7 de novembro, na plataforma Darkflix, serviço de streaming focado no gênero.

 

A segunda edição homenageia Petter Baiestorf e Gurcius Gewdner, dois dos mais prolíficos cineastas de Santa Catarina, Brasil, além de dedica-se à exibição e divulgação de obras audiovisuais nos gêneros terror, fantasia e ficção científica, interpretadas por artistas de todos os gêneros, com o objetivo de dialogar com o imaginário fantástico da Ilha de Santa Catarina, promover e levantar reflexões sobre os gêneros de terror, fantasia, ficção científica e cinema político, veiculando obras realizadas também em Santa Catarina, no Brasil e no mundo. Questões de diversidade, gênero, produção guerrilheira, resistência no caos e durante a pandemia, ocupação de espaços públicos e políticas culturais são abordadas, incentivadas e livremente debatidas.

 

A seleção conta com duas mostras oficiais e oito paralelas. Foram mais de duas mil inscrições recebidas na FilmFreeway, que reúne a curadoria de alguns dos maiores festivais do mundo. A mostra competitiva inclui três longas-metragens e 12 curtas. Nas outras oito exibições paralelas, os panoramas passam por sci-fi, animação, cinema experimental, obras independentes e marginais, shot on video, mulheres no cinema de horror e terrores brasileiros.

 

O coordenador da curadoria é o crítico de cinema e jornalista Andrey Lehnemann, do DC. Ele destaca que o horror vem sendo cada vez mais reconhecido pela crítica especializada e pelo público.

 

– É perceptível que boa parte da crítica que não levava um dos gêneros mais populares do mundo a sério começou a notá-lo. Estava na hora – ele comemora. – O horror moderno está sendo cada vez levado mais a sério, assim como a linha tênue que separa o horror da nossa realidade. Muitos realizadores atuais estão trazendo temas interessantíssimos para debates, utilizando o gênero como plataforma.

 

– Desde o primeiro evento, a intenção da curadoria foi evidenciar filmes fora do circuito comercial – destaca Andrey. – Existe muita coisa boa sendo feita aqui e por diferentes países. Nós temos horror no Nepal, no Egito, na França, na Suécia e no Irã. O público deve ter acesso a isso, conhecer mais o terror moderno e as suas variações. Acho que conseguimos isso no primeiro Floripa Que Horror e vamos conseguir novamente.

 

Entre os filmes selecionados, o Festival Floripa Que Horror exibirá Kathaputali, um filme de terror do Nepal. Será a primeira vez no país. Herederas, que esteve em Stiges, um dos maiores festivais do mundo, também será exibido no streaming de forma inédita. Quem abrirá o evento é o documentário experimental Iwianch – The Devil Deer, do Equador, que aborda os fantasmas da Floresta Amazônica e noções da vida e da morte.

Confira a programação completa do Floripa Que Horror:

 

Longas

 

• Kathaputali (Nepal, 2021) de Veemsen Lama

• Herederas (Espanha, 2021), de Carlos Marbán

• Iwianch – The Devil Deer (Equador, 2021) de José Cardoso

• Menção honrosa: Fornacis (França, 2018) de Aurélia Mengin

 

Mostra Competitiva de Curtas

 

• Look No Further (Portugal, 2019) de André Marques

• Pranto (Brasil, 2019), de Jaime Guimarães

• Malakout (Irã, 2020, 10 min.) de Farnoosh Abedi

• Eu Não Sou um Robô (Brasil, 2021) de Gabriela Lamas

• La Dama (México, 2021) de Vadir Sotello

• Love Just a Death Way (Checoslováquia, 2021) de Bará Anna Stejskalová

• Egun (Brasil, 2020) de Yuri Costa

• Synchronization (Polônia, 2020) de Anna Kasinska

• WaleskaMolotov (Brasil, 2017) de Amandla Veludo

• Noite Macabra (Brasil, 2021) de Felipe Iesbick

• Sétimo Dia (Brasil, 2020) de Jhoão Scarpa

• Ospel (Espanha, 2020) de Xanti Rodriguez

 

Q Horror Brasil

 

• Dual (Brasil, 2020) de Marcio Farias

• Namida (Brasil, 2021) de Renata Jesion

• Missão Berço Esplêndido (Brasil, 2020) de Joel Caetano

• O Mito do Silva (Brasil, 2018) de Fabiano Soares

• A Bojija, O Beato e a Besta-Fera (Brasil, 2021) de Tulio Beat

• Eco (Brasil, 2021) de Caetano Grippo

• Jiupá (Brasil, 2021, 15 min.) de Marcio Nascimento

• Antônia (Brasil, 2021) de Flávio Carnielli

• Onze minutos (Brasil, 2018), de Hilda Lopes Pontes

• Lilith (Brasil, 2021) de Edem Ortegal

• Sethico (Brasil, 2021) de Wagner Montenegro

• Copacabana Madureira (Brasil, 2019) de Leonardo Martinelli

• Fantasma Magnético (Brasil, 2020) de Rafael Van Hayden

• Vigília (Brasil, 2021) de Mariana Starling

• Airão Velho, sayonara (Brasil, 2020), de Sandro Vilanova

 

Q Mundo

 

• The Factory (Irã, 2021), de AliRahimi

• Hunger (México, 2021) de Carlos Meléndez

• Bir Annenin Sonata (Turquia, 2021) de Fehmo Öztürk

• O que queda de nós (Espanha, 2021) de Miguel Gómez Abad

• Seven the Seventh Tribe (Nigéria, 2021) de Anuoluwapo Sangokunle

• Bludughadda (Suécia, 2021) de Annika Forslund Rimbléus

• Intolerance (Ucrânia, 2020) de Stanislav Bytiutski

• Oblivion (Itália, 2021, 20 min.) de Kiana Tajammol

• La Madone (França, 2021) de Achille Bocquier

• Avalon (Alemanha, 2021), de Leif Eduard Eisenberg

 

Q Animação

 

• MAD MASK – FURY ROLL (França, 2020), de Stéphane Berla

• Bellzebud (Espanha, 2019) de Cesar Diaz Mendez

• The Dip (Inglaterra, 2020) de Simona Mehandzhieva

• Talking Heads (Inglaterra, 2019) de Lauren Marie Sandercock

• The Bottle (Arábia Saudita, 2021), de Mohamed Sobaih

• Czarodzielnica (Polônia, 2021) de Klaudia Ptasinska

• The Beholder (Inglaterra, 2020) de Shaun Clark

• Vieílie Peau (França, 2020) de Nicolas Bianco-Levrin e Julie Rembauville

• Family Tree (Irlanda, 2021) de Emmet O’Brien

• Ella Arcangel – Lullaby in the Dark (Filipinas, 2021) de Mervin Malonzo.

• Menção honrosa: Andre’s Bedroom (Jaraguá do Sul)

 

Q Sci-Fi

 

• Paralel Evolution (Turquia, 2021) de Emrah Özçelik e Alper Durmaz

• Kairós – El Tiempo Cualitativo (Espanha, 2021) de Carlos Scasso

• Absurd Man (Turquia, 2020) de Burak Kum

• Nada de Bom Acontece Depois dos 30 (Brasil, 2020) de Lucas Vasconcelos

• Muted (França, 2021) de Frank Ternier

• Colares, Talvez (Brasil, 2021) de Sandro Vilanova

• Alien Felines from Beyond the Galaxy (França, 2021) de Peter the Moon e Ugo Vitto

• Little Dictator (Ucrânia, 2020) de Oleksandra Brovchenko

• Mankind (Inglaterra, 2019) de Layke Anderson.

• A Rapariga de Saturno (Portugal, 2020), de Gonçalo Almeida

 

Q Diretoras

 

• Ils salivent (França, 2020) de Ariane Boukerche

• The Portrait (Espanha,2021), de Diana Caro

• In Mezzo Alle Terre (Itália, 2021), de Alice Presa Wood

• Om (Argentina, 2020) de Gabriela Fernandez

• Verão Sangrento (Brasil, 2020) de Thuanny Lourette

• Purgatory Drive (EUA, 2021) de Maria Gian

• Quand tu éta is sauvage (França, 2021) de Tara Mollet

• Cuando Corro (Argentina, 2021) de Ana Luz Furth.

• Tempo (EUA, 2021) de Sara Eustáquio.

• Dedication (Alemanha, 2021) de Selina Sonderman

 

Q Experimental

 

• Nerve – Identity and Pride (Brasil, 2021) de Mariya Nerve e Jefherson Maiczak

• Sad Cowboy Platonic Love (Suíça, 2021) de Ciel Sourdeau

• Pilgrimage to Halltjärn (Suécia, 2021) de Kim Ekberg e Johannes Hagman

• Abandono (Brasil, 2020) de Seo Cruz e Marcos Bulhões.

• 50°08’54.1”N14°20’43.9”E (Tchecoslováquia, 2020, 6 min.) de Natália Peterková

• Menstruar (Brasil, 2021) de Victória dos Santos

• Fish (Irã, 2020) de Parisa Jafari

• Corpseland (França, 2021) de yang LIU

• Papinha de Goiaba (Brasil, 2021) de Tiago Fonseca.

• The Frightened President (EUA/Brasil, 2020), de Zé Kielwagen e Marcos Serafim

• Menção honrosa: Dune (Hungria, 2019), de Gabor Ulrich

 

Q Horror Marginal

 

• Müllbalkon (Alemanha, 2021) de Johanna Freygang e Julius Müller-Bernstein

• Koo (México, 2021) de Nicolás Rojas Sánchez

• C.H.U.P.A. (Brasil, 2020) de Luciano de Miranda

• Steamed! (USA, 2019) de Beverly Bonner

• Brief Clisterization of the Ideology (Itália, 2021) de Alessio Martino e Elisa Pontillo

• La cromática del Romance (México, 2020) de Karen H. Lara

• HyenaAsphyxia (USA, 2021) de Byron Gouette

• OnlyDeads (Itália, 2021) de Giulio Golfieri

• Santa Terror (Brasil, 2021) de Bruna Provas

• Michael’s Trailer (USA, 2020) de Doug Waugh

 

Q ShotOnVideo

 

• Trimming the Fat (Índia, 2021) de Omkar Kulkarni

• Os Três Paradigmas (Brasil, 2021) de Ale de Lara

• Attack of the Furry Fish (Ucrânia, 2021) de Anastasia Shinkarenko

• Brinquedos Revoltados de Plutão que não é mais um Planeta (Brasil, 2021) de Jonathan Rodrigues

• The Witch Hunters Are Coming (Inglaterra, 2019) de James Atkins

• Menção honrosa: Etumpuluku (Angola, 2016) de Nuno Bareto; e Voa Passarinho (Brasil, 2021) de Otto Cortes

 

Floripa Que Horror! 2ª edição tem patrocínio da FUNCINE – Florianópolis, Fundação Franklin Cascaes e Prefeitura de Florianópolis.

 

PROGRAMA CLUBE DO FILME

 

Na foto: Os radialistas EDSON SANTOS e MARY QUEIROZ
Os radialistas EDSON SANTOS e MARY QUEIROZ

 

No programa CLUBE DO FILME, deste sábado, pela Rádio Caruaru FM, com a apresentação dos radialistas EDSON SANTOS e MARY QUEIROZ, vai abordar o tema: “PONTO DE VISTA SOBRE O FILME HALLOWEEN KILLS: O TERROR CONTINUA”. Nos Estúdios, a presença de Gilberto Hazan e Felipe Queiroz, ambos cinéfilos e colecionadores.

 

Acompanhe pelas Redes Sociais:

 

YOUTUBE:

https://www.youtube.com/channel/UC1hCjOYAAsdUWKUeTwExIag

 

SITE:

caruarufm.com.br

 

FACEBOOK:

  • facebook.com/edsonsantoscaruaru
  • RÁDIO CARUARU FM – 104,9

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.