Notícias de Caruaru e Região

Seis anos e um mês depois, Polícia diz que encontrou assassino confesso da menina Beatriz

Suposto assassino da menina Beatriz
Suposto assassino da menina Beatriz

Seis anos, um mês e um dia depois do assassinato de menina Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, a polícia diz que o caso teve um desfecho. O suspeito de desferir 42 facadas na garota, dentro de um colégio particular de Petrolina, no Sertão, foi identificado pela Polícia Científica de Pernambuco e confessou o assassinato.

O DNA encontrado na faca, segundo o laudo pericial, é de Marcelo da Silva de 40 anos, que está preso por outros crimes. Nesta terça (11), após ser ouvido por delegados, ele foi indiciado.

O MPPE informou que já “adotou providências para garantir a segurança do preso, bem como já requisitou perícias complementares à Polícia Científica”, mas não entrou em detalhes sobre quais providências foram tomadas.

Por meio de nota, a Secretaria de Defesa Social afirmou que, ao ser ouvido pelos delegados da Força Tarefa, Marcelo da Silva confessou o assassinato e foi indiciado.

É de se estanhar a “aparição” deste assassino, logo após a caminhada de mais de 700 quilômetros que a mãe de Beatriz realizou pedindo por justiça, em dezembro de 2021, a mãe de Beatriz afirmava sempre que “a polícia tinha sabotado o inquérito”. Segundo Lúcia Mota, “os assassinos estavam sendo protegidos pela polícia”.

Beatriz Mota
Beatriz Mota

Após a caminhada, os pais da menina se reuniram com o governador Paulo Câmara (PSB), no Palácio das Princesas, sede do governo. O governador afirmou que era favorável ao processo de federalização das investigações.

No mesmo dia, o chefe do Executivo estadual anunciou a demissão do perito Diego Costa, que prestou consultoria ao colégio onde a menina foi morta.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.